Turma Rondon participa da comemoração dos 50 anos da EsPCEx

No dia 18 de fevereiro último, a Turma Marechal Rondon, EsPCEx 1967/1969, reuniu-se para comemorar os 50 anos da sua entrada na Escola Preparatória de Cadetes do Exército. Mais de cem ex-alunos estiveram lá. Foram momentos de rever grandes parceiros da juventude, relembrar histórias e mitigar saudades.
Saudade dos amigos, de tudo o que vivemos, mas principalmente de quem fomos.De nossa versão mais simples, ingênua e idealista. Saudade mesmo daquilo de que nem lembrávamos mais: pequenos incidentes que viraram anedotas, mas que os amigos lembram por nós. Saudade daquilo que fomos. Saudade dos apelidos, das aulas, dos mestres, dos instrutores, relembrados em casos e situações.
Revimos a Escola. Salas de aula, corredores, e a pérgola que naquele tempo era escura e tinha um piso grosseiro, cimentado que era. Não encontramos o “concreto beach” onde secamos tantas roupas e batemos tantos papos nas manhãs de sábado. Testemunhamos a passagem do tempo no rosto e no relato de experiências de cada um. Por algumas horas esquecemos nossos problemas pessoais e as nossas dificuldades. E por algumas horas, tivemos a sensação de que o tempo não passou. De que naquele hiato de tantos anos, permanecemos os mesmos.

Naquela época sentíamos que tudo podíamos fazer. Éramos debochados, brincalhões, gozadores unidos pelas dificuldades. Reencontrar amigos significa um reencontro com nós mesmos. É reviver uma parte de nós que já existiu e se perdeu com o tempo, mas que necessita ser reavivada para que nos lembremos daquilo que já fomos e daquilo em que nos tornamos. É reencontrar nosso referencial.  O início de nossa história.
Nós nos revigoramos. É mais ou menos como voltar ao bairro onde nascemos para rever a casa onde moramos na infância. É como reencontrar um grande amor. Existe um encantamento mágico nesse reencontro. Por alguns momentos, voltamos a ser aqueles jovens que chegaram na Escola numa marcha triunfal. Aqueles que foram chegando, com seu garbo marcial. Aqueles que venceram uma luta mesmo desigual! Aqueles que, ombro a ombro, marcharam para conquistar o seu ideal!

Texto de Luiz Carlos Ramirez Al. 705

 

Mídia:
O vídeo é da nossa entrada.
Entramos na Escola ao som da “Marcha dos Granadeiros”, a mesma que tocou há 50 anos atrás.
As fotos são da nossa entrada, dos que compareceram à festa e do Gen Villas Boas.